“Achava que era a Marília Mendonça quem cantava essa música”. Comentários nessa linha são os mais comuns nos vídeos de Yasmin Santos, cantora de 20 anos que cresce no rastro deixado pelo feminejo – movimento que marcou a música do país em 2016.

Seu tom de voz lembra muito o da rainha da sofrência. E também sua postura no palco, suas letras sobre desilusões e traições, com certo teor alcoólico.

Em uma festa de aniversário de Rafaella Santos, irmã de Neymar, ela já chegou a ser confundida com Marília. “Rafa postou um vídeo do show no Instagram e uma emissora de TV exibiu, dizendo que a festa teve, entre os convidados, Marília Mendonça. Mas ela nem estava lá”, diverte-se ao lembrar, em entrevista ao G1.

A cantora jura que a confusão frequente não incomoda. Diz ver Marília como ídolo “como artista e como ser humano”. “Para mim, é uma honra ser comparada a ela”. Mas também nega o esforço para tentar imitar sua maior referência. “Sempre foi tudo natural, nunca forcei.”